Na Beira do Rio

Menu

Links

Icq Status

COLÉGIO SANTA TERESA

Colegio Santa Teresa.jpg
 

POESIAS DOS ALUNOS DO 8.º ANO
DO ESI — COLÉGIO SANTA TERESA

— PARABÉNS AOS AUTORES PELAS LINDAS POESIAS —

 


Canção da família

                     Michelle Nunes Garcia

Minha terra tem Família
Onde canta o amor
As pessoas que aqui riem
Não riem como as de lá.

Nosso amor não tem fronteira
Nem a alegria tem limite
Para saber por quê?
Pergunte a quem nos tolera.

Hoje o mundo é sem graça
Todo mundo tem inveja
Quando caímos na miséria
A comunidade festeja.

Mas na minha família
Nada assim existe
Todo mundo fica junto
Para ver quem resiste.

Eu sei que o mundo vai mudar
E sei que é para melhor
Só que nunca podemos esquecer
Do que tínhamos de pior.
 


* * * * *


A vida

               Lúcia

Nasceu... cresceu... lutou.
Da sua família cuidou sem temor.
Protegeu animais que sem casas estavam,
Sabendo que os guardava.

Nossos pensamentos felizes,
Nossos sonhos,
Nossa esperança nos alimentava.
Luzes para um maravilhoso viver
Protegia-nos sem temer.

Nos seus olhos procurei
Uma luz brilhante para viver.
Olhando para você me glorifiquei,
De amor e carinho também.

Um tesouro da vida cuidei,
Sem me arrepender.
Uma riqueza do meu coração,
Sem cuidado roubou.
 


* * * * *

Canção do Mengão

                            Matheus Ferreira Gonçalves

Minha terra tem um time,
Que não se cansa de ganhar;
E o nosso maior prazer,
É ver o Vasco afundar.

Nossa sala tem mais troféus,
Nossa camisa tem duas cores;
Nós somos uma torcida,
Que pelo time tem amores.

Esse time é o Flamengo,
Que não se cansa de ganhar;
E nossos jogadores,
Coloca a bola pra correr.

Nós somos uma torcida,
Que nunca pára de cantar;
E quando vamos ao Maraca,
Nós vamos para lotar.

O Flamengo não é um time que tem uma torcida,
É uma torcida que tem um time;
Eu sempre te amarei,
E onde estiver estarei.
 


* * * * *


Canção da poluição

                           João Neto

Minha terra não tem palmeiras,
Onde canta o sabiá;
Aqui só tem poluição,
Destruindo palmeiras e sabiás.

Nosso céu só tem fumaça,
Nossas várzeas poluição;
Nossos bosques não têm vida,
Nossa vida é um lixão.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais poluição encontro lá;
Minha terra é um lixo,
Coitado do meu sabiá.
 


* * * * *

Canção do exílio

                      Emanuela Antunes de Oliveira

Minha terra não tem palmeiras,
Onde canta o pardal.
Só tem cheiro de queimada,
No terreiro e no quintal.

Tem que ter a natureza,
Tem que ter os animais.
Nesse desastre ecológico,
Não viveremos mais.

Tenho medo de sair à noite,
De alguém me assassinar.
Minha terra não tem palmeiras,
Onde canta o pardal.

 

* * * * *

Canção sobre o Canadá

                              Stephannie Souza

Minha terra tem palmeiras,
Mas não como as do Canadá;
As aves que aqui gorjeiam,
Não são lindas como as de lá.

No Canadá o céu tem mais estrelas,
A primavera tem mais flores,
Os bosques têm mais vida,
Seu povo mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais lazer eu encontro no Canadá;
Minha terra tem palmeiras,
Mas não são como as de lá.

Minha terra não tem primores,
Que tais encontro no Canadá;
Em cismar, sozinha, à noite,
Mais lazer eu encontro lá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu conheça o Canadá;
Sem que desfrute os primores,
Que só encontro no Canadá;
Sem qu’inda aviste todas coisas lindas,
Que só existem lá.
 

* * * * *


Canção do Canadá

                        Thiago de Paula Coimbra

Minha terra não tem neve,
Onde posso esquiar
A neve que cai aqui,
Nem cinco minutos consegue durar.

Do nosso céu só cai granizo,
Que destrói casas em Minas Gerais.
Nossos bosques têm mais queimadas,
E os desmatamentos são gerais.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá.
Minha terra tem desastres,
Como o de Nayara e Eloá.

Minha terra não tem primores,
Os quais encontro no Canadá.
Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro em esquiar.
Minha terra não tem neve,
Tais como as do Canadá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem conhecer o Canadá;
Sem que desfrute os primores,
Os quais só encontro lá.
Sem qu’inda aviste as montanhas,
Onde irei esquiar.
 


* * * * *

Ninguém merece!

                                   Maitê Martins

Na minha terra tem palmeiras,
Onde cantam lindos sabiás.
Só que aqui na cidade,
Não vemos as mesmas coisas que lá.

Lá as árvores dão frutos,
Que podemos saborear.
Aqui se quisermos algum,
Temos que comprar.

Na cidade, os rios são sujos,
Pois só há poluição.
Na minha terra, existem águas,
Que geram diversão.

Lá nós podemos andar descalços,
Sem problemas algum,
Na cidade, se fizermos isso,
Voltamos até sem pé.

Um dia, ainda voltarei para minha terra,
Para curtir o que ela oferece.
Pois ficar aqui na cidade para sempre,
Ninguém merece!
 


* * * * *


É pra lá que eu vou

                     Carolina P. de Andrade

Minha terra não neva,
Como lá no Canadá.
Eu queria esquiar,
Para ver no que vai dar.

Nossas terras têm mais praias,
Pouca neve e muitas flores.
Nossos mares muitos peixes,
No Canadá, mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá.
Minha terra tem palmeiras,
Onde neve não há.

Não permita Deus que eu morra,
Sem conhecer o Canadá.
Por ser menor de idade, não posso viajar.
Minha terra tem palmeiras,
Mas é no Canadá que eu quero morar.